Ter família

pexels victoria akvarel 1648387
Foto: Victoria-akvarel

Tão bom ter família. Tão bom poder ter com quem partilhar!

No entanto, muitos problemas existem no seio familiar em vários momentos. São de vária ordem. Têm as suas consequências.

Quantas pessoas gostariam de ter família, de ter um ombro amigo, de ter ajuda, de poder dar?


Percorrendo as redes sociais, observamos sorrisos, locais bonitos. Tudo parece belo e o sentimento é de que os problemas ficam fora destas redes. De vez em quando, um símbolo negro é sinónimo de tristeza. Sim, porque ela chega e avisa primeiro. E assim, partilhamos comentários salutares de forma a amenizar o sentimento devastador da pessoa.

Escutamos as notícias, os cenários futuros ao nível da economia não são animadores. Tudo está mais caro. A área financeira familiar terá sérios agravamentos, dizem as perspectivas.

Os hospitais sem respostas para quem está para dar à luz, as escolas sem professores e tantas outros fatores que afetam a harmonia e bem estar familiar.

Há que fazer melhor gestão do tempo, do dinheiro e sobretudo, das emoções, do estado de Espírito. Porque afinal, temos Esperança no nosso Senhor. É com Ele que podemos contar quando a vida sai fora dos carris. Quando a noite vem e não há vontade de continuar.

Sempre ouvimos que há o tempo das vacas gordas e o tempo das vacas magras. Magras sem sustento. E Portugal, devido à seca já está a fazer gestão da água.


Em tempos conturbados, o que fazer enquanto família?


«Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos de sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente.» 1 Timóteo 5:8

É isso, cuidar uns dos outros!

Estar atentos e desenvolver entreajuda.

Apoio, respeito, dignidade, solidariedade, ternura são palavras de ordem no agregado familiar.

Todos os elementos são necessários, mais velhos e mais novos.

Há que olhar o horizonte, juntos e se possível, de mãos dadas.

Contar com a sabedoria dos idosos.

Garantir que a presença e participação de todos é essencial.

Publicado na página Portugal em oração.

Assinatura-Andrea-Ramos

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução por quaisquer meios, salvo em breves citações com indicação da fonte, sem prévia autorização da Autora.

Partilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

refeição

Uma refeição

Porque gostamos tanto de comer? Além de ser uma necessidade vital, deliciamo-nos ao estar sentados à mesa com a família e amigos, verdade? Há um certo prazer nisso! Neste ato, fomentamos a união e construímos

Leia mais »
medo

Qual é o teu maior medo?

Eu tenho alguns. Nem posso pensar em me aproximar de cobras ou ratos. (Foto: Rene Asmussen) Certa vez, estava num parque natural na Costa Rica (floresta tropical) com a minha família e, de repente, percebe-se

Leia mais »
tempestades

Tempestades da Vida

«E ele, despertando, repreendeu o vento, e disse ao mar: Cala-te, aquieta-te. E o vento se aquietou, e houve grande bonança.» Marcos 4:39 Quando o mestre foi acordado, ele agiu face à situação dramática com

Leia mais »

Artigos Recentes

Redes Sociais

Scroll to Top