Shadow

22154188 1462397103873124 6068269094865452696 n


«O homem é semelhante à vaidade; os seus dias são como a sombra que passa.» Salmos 144:4

Ele vivia na cidade. Descobrira recentemente um espelho gigante, que veio encher-lhe a parede do quarto.

Objeto esse, que adorava. Cada dia passava mais tempo a apreciar-se. Virava-se de lado para apreciar o seu perfil.

Não pensava em mais ninguém. Era ele e só ele. Figura genuína, elegante, bem-falante. (Nada altruísta!)

A sua sombra seguia-o todos os dias. Ele gostava dela, apreciava-a. Admirava-a profundamente.

E viveu assim, afastado toda a vida porque, afinal, ninguém queria ver-se ao espelho com ele. Ninguém aprendera a admirar a sua sombra.

Morreu junto ao espelho. A sombra desapareceu para sempre.

«Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará.» Salmos 91:1


Foto: internet

Assinatura-Andrea-Ramos

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução por quaisquer meios, salvo em breves citações com indicação da fonte, sem prévia autorização da Autora.

Partilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

amizade

Amizade

Fadiga é fadiga, nunca é tarde para se desfrutar da amizade! Tinham vivido uma vida árdua de trabalho até que um dia chegou a hora do descanso. Deixaram os afazeres sabendo que a vida também

Leia mais »
amar

(Amar)

Esperava-te todos os dias. E tu chegavas e nem sequer me olhavas. Lembrava-me sempre daquele banco. Solitário, à chuva, frio e vento, ao calor abrasador… ali permanecia, calado, sem gemer. E mais um dia e

Leia mais »
labirinto

Labirinto

Subiu as escadas e ingressou pelo escancarado pórtico. Na obscuridade pairava teimosa neblina. Ruas aguçadas, emaranhado de nós. Portas, janelas, ora diferentes, ora iguais. Nas paredes, fusão de impressões digitais. Anastácia atónita, na braveza de

Leia mais »

Artigos Recentes

Redes Sociais

Scroll to Top