Resta-nos acreditar que um dia irás reconhecer! (Metamorfose)

33072620 1709192085860290 7512662438026674176 n

(Sim tu!) Operador hábil, enfim te tornaste. Camuflaste o guindaste.

Na lapela a insígnia do perigo, do terror.

Bizarra pose! As armas… teu brinquedo.

Zaranzando na teoria do medo, em sigilo arquitetaste o alvo a abater,
Primígenos rendidos ao teu querer… (Malévolo Senhor!).

(Infame é teu ser!) Mareante, de águas gélidas oriundo.
Nascente lacrimal, o mundo, (Cobarde!) viu nascer.
Cravaste punhal de gelo (Figura de espadachim!),
Em mártires corações, num frenesim, desespero profundo (Flagelo!).

Erguera-se a madrugada queixosa. Primórdio da tua ardilosa Epopeia.
Inspiração harmónica de Pitágoras? (Estapafúrdia ideia!).

O quê? Tornaste-te agricultor? Antecipaste a ceifa! (Porquê?)
Aniquilaste a fértil produção! (Prantearam as mandrágoras…)
Eternizada a auspiciosa geração!

Pintor de renome cobiçaste, não podes negar!
(Miserável vaticínio!).

Carmesim, tua seleção, nas entranhas, hediondo pincel impregnado.
(Mestre da matança!) Na tela corpos sangrentos a espernear (Grotesco assassínio!).

Teu rosto… (vil lembrança!) (Naaaaaaão!)
Quando é que este inferno vai acabar?


Foto: Internet

Assinatura-Andrea-Ramos

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução por quaisquer meios, salvo em breves citações com indicação da fonte, sem prévia autorização da Autora.

Partilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

natal cor de rosa andrea ramos

O Natal é cor de rosa

Naquele dia, ela tinha vontade de dar. Não sabia como fazer, como começar. Recortou um pai Natal bondoso de uma revista. Ela sabia que ele deixava as crianças cheias de gozo e contentamento. Mas, lá

Leia mais »
amizade

Amizade

Fadiga é fadiga, nunca é tarde para se desfrutar da amizade! Tinham vivido uma vida árdua de trabalho até que um dia chegou a hora do descanso. Deixaram os afazeres sabendo que a vida também

Leia mais »
miúdo

Miúdo decidido

O petiz amava mergulhar nas águas frias de Santa Cruz. Aprendera a nadar nas aulas de iniciação aquática. A cada verão, era vê-lo na sua prancha a fazer brilharetes. Passara a fase das birras para

Leia mais »

Artigos Recentes

Redes Sociais

Scroll to Top