Ida às compras

22196384 1462466997199468 949679072257898655 n


Ela foi às compras. Cansada pediu ajuda. As pernas teimavam em não querer andar. Tinha andado a evitar…

Levaram-lhe o saco vazio por gentileza. Pegou num carrinho e sem a certeza de conseguir chegar ao fim.

Foi aos enlatados. Um leite condensado porque a neta gostava de baba de camelo. Cogumelos, sim, azeitonas e salsichas.

Seguiu para a mercearia…arroz, massa, feijão a gosto do patrão. O óleo, a farinha, o açúcar. Vinagre e azeite sem saber se na despensa haveria.

Os temperos pra bem temperar…começava já com dificuldade em empurrar. A canela, os caldos, pimenta, louro e sal. Maionese, pimenta e colorau. Noz-moscada, salsa e alho.

Para os lanches, faltava-lhe o café e os biscoitos. Derreada de estar em pé, sentou-se no meio do supermercado.
O gerente abordou-a chamando um moço para a auxiliar. Começaram a caminhar, devagar lado a lado.
Nos aperitivos, o milho prás pipocas porque os filmes assim o exigiam.

Nos doces, um chocolatinho para adoçar a boca de vez em quando.

Foi ao talho, aviou-se de frango, carne moída e costeleta. O peixe e frutos do mar prás dietas da filha emprestada. Depois precisou de pescada, bacalhau, o polvo e camarão.

Área dos laticínios. Leite, iogurtes e manteiga para o pão. Sobremesas…a mousse e a gelatina. Na padaria o croissant de que tanto gostava.

Charcutaria…queijo fatiado e fiambre. Chourição muito caro, não.

Lembrou-se ainda da massa de pizza porque se a fizesse dava-lhe um trabalhão.

Mesmo devagarinho avançou pra área dos congelados.

O frio gelava-lhe os ossos. Agarrou nas batatas pré-fritas.

Por fim, foi para a caixa. Tirou a carteira e pagou com a sua reforma.

Precisava de novo de ajuda pra levar as compras. O marido aguardava-a no carro estacionado no lugar de deficientes.

«Os dias da nossa vida chegam a setenta anos, e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, o orgulho deles é canseira e enfado, pois cedo se corta e vamos voando.»
Salmos 90:10


Foto: internet

Assinatura-Andrea-Ramos

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução por quaisquer meios, salvo em breves citações com indicação da fonte, sem prévia autorização da Autora.

Partilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

zeca

Zeca

ꟷ Cansado, eu? Sim, muito cansado, farto até. Fartei-me de a aturar. Ela fazia-me mal. Aguentei muito. Aguentei demais. Abusava da minha confiança, da minha dignidade. O meu corpo marcado ora pela fome, ora pela

Leia mais »
a minha tia

A minha tia

Olhou para o relógio de pulso, orgulhosa. Uma prenda do marido. Maria fazia a viagem de comboio para ver a tia, doente há algum tempo. A tia que a ajudou a crescer, que a ensinara

Leia mais »

Artigos Recentes

Redes Sociais

Scroll to Top