Já não há explicação!

Já não há explicação

Dá-me a tua mão
Enxerga, sente o bater do meu coração

Dá-me um abraço
Aperta com a força como se fizesses um laço

Dá-me um beijo
De ternura, de afeição
Sou este velhinho que morre de solidão

Dá-me a tua mão, contigo vou estar mais seguro
E já não tombo para o chão

Dá-me um abraço
Já nem me lembro da sensação

Esta memória que me atraiçoa
Nem os piores pensamentos me perdoo

Dá-me um beijo
Porque não me tiras desta prisão?

Dá-me meu filho a tua mão
Dá-me aquilo que não se vê
Que não se pergunta o seu porquê

Dá-me carinho porque me sinto tão sozinho!!!
Dá-me a tua mão, leva contigo o meu coração
Ele está triste e nem encontro a razão
Porque a memória traiçoeira
Me arranca qualquer recordação

Dá-me um abraço
Fica comigo mais um pouquinho
Não te esqueças de mim
Sou eu, o teu velhinho.


Dedicado a todos quantos estão sós, sem abraços, ou abandonados numa qualquer instituição em meio a uma pandemia. Qualquer semelhança é pura ficção. Outubro 2020

Assinatura-Andrea-Ramos

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução por quaisquer meios, salvo em breves citações com indicação da fonte, sem prévia autorização da Autora.

Partilhe:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

Olhar o Amanhã

Quero olhar o amanhãCrer no brilho da auroraQue se ergue bondosa para todos Quero confiar nos meus entes amadosQue me vão dizer a verdade, ensinando-me a vivenciar a dignidade Quero olhar o amanhã tendo a

Leia mais »
andrea ramos, familia

Frame it – Family

A família é… Doce surpresa embrulhada em invólucro dourado No interior de mochila cheia atada com nós de amor É lenço impregnado em perfume de flor É paleta de tinta ao jeito do pintor É

Leia mais »

Artigos Recentes

Redes Sociais

Scroll to Top