Evellis Magazine – Deus fez o amarelo!

Deus fez o amarelo

Ah meu Senhor, Tu És o maravilhoso pintor da paisagem, a qual pincelaste de esplendor. Não, não se trata de uma miragem! No Universo decoraste o cenário! Tu és Deus Visionário! 

Amarelo, amarelo, viva cor! Nem todos te percebem belo. Pois, na minha singela apreciação, integras a Criação e causas sensação. 

És cor essencial, consideram-te a cor mais feliz… Atrais o olhar, trazes calor.

Amarelo, o Criador não se esqueceu de ti! Para honrar o teu pintor, te enalteço pela tua cor.

Ergues-te como amarelo dourado que, no sol plasmado acalentas o coração dos povos da Terra. Sol brilhante no céu que deslumbra e encanta ao amanhecer do dia, levando embora a mais terrível escuridão. E o poente? Cria na paisagem um manto aloirado, por vezes misturado com cores suas amigas.

Estrelas há amarelas! Irrequietas parecem cair do céu, a reluzir ante um escuro véu. Mas no manto negro embelezam. E as ‘cadentes’? «É só pedir um desejo» …mania das gentes…

E, amarelo, para elencar nuances de ti… 

Olhemos o fogo num rodopiar de labaredas, encontramos-te numa mistura incrível com vermelhos e laranjas. Ou…no enigmático arco-íris, na pedra âmbar ou no ouro (salmos 68:13). 

Há sangue amarelo nos insetos? (Parece que sim!) E os olhos da coruja cornucópia, que espanto! Vemos-te noutros animais, sejam cobras, sapos, vespas venenosas, canários, patos bebés, peixes de águas quentes, entre outros mais.

Quem já visualizou um canastro repleto de espigas de milho? Ou um campo de nabos com suas florinhas? 

És amarelo da flor da mostarda, do açafrão do mel e do pólen. Mas reinas ainda nos frutos e vegetais, numa variedade fantástica de sabores seja, banana ou limão, interior de physalis, maracujá, pimento, abacaxi por dentro, pera rocha madura, carambola, Kiwano ou pepino africano. E alguns mais, pitaia de casca amarela, bacupari, ameixa e melão, nêspera madura, pêssego maracotão, marmelo e caju.

Amarelo, és também a cor mais comum nas flores. Malmequeres em tom forte nos campos espalhados… (e lembro-me da menina de colar ao peito que brincava de princesa). As charmosas tulipas, as acácias floridas, garridas. A flor do girassol, de leste para oeste. (a lista não se encerra aqui). 

E o deserto que de um amarelo-torrado se veste?

Percebi-te, sim! Foi num pleno dia de outono. Observava o meio circundante, surgiste ali modelado numa estética árvore de folhas amarelas. Fiquei deslumbrada, pasmada. E desde então, moveu-me o coração para te mencionar. Fiquei mais atenta às tuas tonalidades. 

Amarelo sublinho o teu inventor: Deus, Mestre e Senhor, só Ele é digno de toda a honra e louvor! A Criação é a sua inspirada obra, que grande manifestação de beleza trouxe à humanidade e, sabem? «VIU QUE ERA BOM»! (Génesis 1)

Texto publicado na Evellis Magazine Portugal na Rubrica Floresco em abril de 2017, pág 94

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado.

Scroll to Top