Raptada

15253391 1143320072447497 1574301797961148492 n

Quando estava no fundo do mar
Tão sossegada a dormitar
Vejo a meu lado, persistente
Um objecto, que até hoje não consigo decifrar!

Então essa coisa me leva
Me arrasta do profundo mar
Socorro…
Não sei onde vou parar.

Fiquei tão triste, tão sozinha
Que só me apetece chorar
Meus colegas e vizinhos
De mim se vão lembrar.

Lá vou eu nessa viagem
Com homens que me raptaram
Que saudades que tenho
Dos amigos que lá ficaram.

De repente ouço um barulho
Está tudo a ficar escuro!
Estou na Expo’98
Que enfim, será o meu futuro!

Autoria: Andrea Ramos,1998. Para o Diário de Notícias sobre a Expo’98 – ‘Concurso’ em 98 Palavras

Foto: internet

Todos os direitos reservados.
É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste texto, por quaisquer meios, sem prévia autorização, por escrito, da autora.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top