«Dream-catcher»

Imagem3

Apresentava-se figura mistério
Dançava na chuva, tocava saltério
Vestia-se pimpão em fato alongado
Não cobrava tostão ao serviço das gentes

Não fazia seleção e impunha seu critério
Velhos ou novos estimava seus clientes

Trazia na algibeira um lampejante saco
No ombro o seu pequerrucho macaco

Em vez de caminhar pulava
Movia-se exuberante de casa em casa
Rejeitava os fingidos
Apurava os vigilantes
Captava os adormecidos

Logo o saco se avolumava
Tal era o porte das fantasias
Com lucidez as selecionava
Honrava cristalinas utopias
E removia tresloucadas manias

Durante o dia dormitava
No casarão enigma, junto à fonte
Ao pôr-do-sol, enérgico despertava
Empreitada exigente pela frente
Vontades sinceras no horizonte

Foto: internet

Todos os direitos reservados.
É expressamente proibida a reprodução total ou parcial deste texto, por quaisquer meios, sem prévia autorização, por escrito, da autora.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Scroll to Top