A mãe da noiva

dmitry zvolskiy
dmitry zvolskiy

A mãe da noiva também foi um dia noiva, porém os sentimentos aguçam-se quando os papéis se alteram. A mãe da noiva passa a ser sogra, palavra tantas vezes em depreciação. Prefiro o termo em zulu – umamezala e acho graça ao indonésio – ibu mertua para a mesma designação.

No inicio tenta-se aceitar quem chega de novo. Depois, aos poucos, vai-se assimilando que o dia da separação do ninho parental, chegará e um novo membro a quem chamaremos filho. Ser sincera e comedida, estar serena no meio da turbulência do coração, será imprescindível em todo o processo.

O conceito de casamento é uma aliança, uma relação de dependência. Um estatuto com ancestrais de Génesis. É algo sublime. É dar-se, é servir o outro. É viver a dois a felicidade e os dias difíceis.

Saber que a filha está feliz, deixará sempre uma mãe feliz. E é esse o sentimento do dia especial, o dia do casamento, mas há outra emoção que não escapa, a dor da separação. O ver o quarto vazio, sabendo que nova etapa da vida chegou. Ter a filha casada e daí a algum tempo, os netos.

Remeto-me à preparação do grande evento, a escolha do vestido, os conselhos, a preocupação de que tudo corra bem, os gastos da boda, os detalhes da cerimónia, e ver que o tempo passou rápido.

O grande dia, a azáfama, o levantar cedo sem que se tenha dormido descansadamente.

Controlar as emoções para que a filha esteja calma. Partilhar os momentos do cabeleireiro, da maquilhagem, vestir os vestidos mais bonitos da festa. Mãe e filha rindo e tentando não chorar porque afinal é um dia único.  E ainda tirar fotografias engraçadas com rolos na cabeça e passar a ser Odetes.

Um dia de conversas, de festejos, de beber álcool, das horas sentadas a comer. Do olhar que não se desvia dos noivos, de consciencializar o nascimento de um novo lar. Entender o amor fazendo a ponte com o passado, relembrando o próprio dia de casamento.

Mãe um pouco anestesiada sabendo que a casa ficará mais vazia.

Os passos da filha que não se vão escutar quando descia as escadas. O leite dela que ficou no frigorífico. Voltar ao seu quarto inúmeras vezes como se a sua presença se fizesse sentir.

O dia a seguir, o coração apaziguado e cansaço. Olheiras e rosto sem vontade. O corpo a dar sinais das emoções vivenciadas. Respiração na profundeza.

E tentar pensar noutras coisas, enchendo a cabeça de trabalho. Pedir fotos da lua de mel. Saber a cada instante se estão bem. Consciencializar que a vida continua nem que seja à força. Ser resiliente, amar a dobrar o filho que ficou. Mãe de vontade com o coração em ‘metadinhas’.

Lembrar o dia do casamento da filha com o sentido de dever cumprido.

Assinatura-Andrea-Ramos

Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução por quaisquer meios, salvo em breves citações com indicação da fonte, sem prévia autorização da Autora.

Partilhe:

64 opiniões sobre “A mãe da noiva”

  1. Rute Fernandes

    Lindo e que espelha tão bem o que vivenciamos quando um(a) filho (a) sai de casa para se casar.

    1. Carlos Couveiro

      Obrigado pela partilha do texto. Tudo verdade! Embora, na qualidade de Pai, as coisas possam ser ligeiramente diferentes, só ligeiramente. Até porque o Pai, por vezes é o mais responsável por fazer as “crias” voarem do ninho, assim que ganham asas, e normalmente, se são os Pais da noiva, a mãe sempre assume mais a responsabilidade de sugerir, dar opiniões e de se preocupar com todos os preparativos com bodas, vestidos, etc. O Pai, fica nos bastidores, no mínimo para salvaguardar algum imprevisto, e resolver algum “quebra-galho” que apareça. O Pai, olha para a nova “aquisição”, o novo membro, ainda com algumas incertezas se ele irá cumprir o seu papel devidamente. Até porque, se é o Pai da noiva, a fasquia é colocada bem alta, mesmo sabendo que as suas espectativas, nunca serão alcançadas, são altas demais para “qualquer” um… as filhas, são preciosas demais, aos olhos do Pai para serem oferecidas como dádivas divinas a “qualquer” um… (Talvez não sejam todos assim…).

    2. Susana Freitas

      Bem…para começar, simplesmente fabuloso! Vivenciei esse dia tão especial , com muitos mistos de sentimentos, pois eu como filha , já passei por isso , por casar , e deixar a casa dos pais, sair do ninho, custa muito, mas por outro lado ganhei muita dependência, resposabilidade e muito mais.. Quanto ao texto… simplesmente….soberbo! Uma realidade muito verdadeira, e tão transparente. Deus abençoe a todos nesta nova caminhada… Que é vida!!! ❤️🙏

      1. Andrea Ramos

        Oh, muito obrigada pelo seu comentário! Quis eu dar vós a um tema que nem sempre se fala. Só me motiva a escrever mais. Abraço enorme.

    3. Celeste Mourão

      O dia do casamento da minha filha foi recheado de sentimentos mistos: orgulho, alegria, nervosismo, ansiedade mas foi amor o que mais senti(sentimos). Com momentos em que parecemos anestesiadas, mas felizes e com a sensação do dever cumprido, sabemos logo (sentimos) que foi uma escolha acertada. A chegada do meu genro, que considero um filho, não me fez sentir mais vazia nem me fez sentir o afastamento da minha filha. Sempre fomos muito próximas, e assim continuou. A vida a dois tem corrido como sonhámos e já tenho dois netos que são a minha alegria.

  2. Querida Andrea vais saber lidar com essa nova realidade pois os espaços vazios que acontecem nessa nova realidade serão preenchidos com a Graça do Papá Deus com alguns momentos de receção a eles que virão adoçar a sensação de ausência da filhota. E poderás organizar com o que ficou momentos diferentes de lazer como uma caminhada ou outro ponto de interesse que vocês já tenham em comum! Bem tu tens muito mais experiência do que eu mas não quis deixar de te desejar sempre que quando o plano A se desvanece por qualquer circunstância o plano B está sempre disponível para poderes desfrutar e levar a cabo! Bjinhos e abraços

  3. Adorei este pequeno olhar para o mundo tão diferente; quando as nossas filhas deixam de estar em casa, e vão começar outra etapa da vida delas! Tenho duas lindas filhas e sei bem o que a presença delas em casa a crescer e perceber este mundo e estar a tão presente nas vidas delas! Ainda não cheguei a essa etapa de as ver casar..mas qualquer dia..vou cintir a mesma coisa que a linda Andreia tão bem escreveu.
    Adoro esta escritora!

  4. Um texto inspirador de uma realidade que ainda não conheço de perto, mas que um dia vai chegar… E em breve chegará

    1. Andrea Ramos

      Obrigada, querida. Falamos disto e assim já sabes mais algumas coisas sobre esse dia… beijinhos.

  5. Um experiência muito bonita. Passei por lá duas vezes. O desafio de estar suficientemente perto e ao mesmo tempo suficientemente distante porque não era o meu casamento e logo, não eram as minhas decisões exigiu e ainda exige o exercício diário da sabedoria.
    E em cada momento o desejo de que corra bem encontra expressão na oração, antídoto da ansiedade.
    E os quartos ficam vazios mas o coração permanece cheio.. ainda mais cheio. E depois, os quartos voltam a encher-se de emoção, de alegria e de um prazer indizível ao ouvir os sons das vozinhas que gritam: Avó!
    Texto muito descritivo das emoções contraditórias que habitualmente povoam os dias das mães das crianças que crescem e se tornam noivas! Obrigada Andréia.

    1. Andrea Ramos

      Muito obrigada. Um dia de felicidade e sentimentos difíceis. Podemos falar disto? Sim, podemos. Abraço enorme.

  6. Miriam Catarino

    É sem dúvida um tempo de muitas emoções! Se por um lado sentimos que cumprimos o nosso papel, preparamos as nossas filhas para a vida, por outro a certeza do ninho a esvaziar não é tão agradável. Sabemos que vai haver momentos em que vamos sentir falta do barulho, da risada, da companhia e até dos cuidados que um filho sempre implica.
    Creio que no dia o sentimento de felicidade é o que mais impera, apesar de toda a correria dos preparativos. Devido a minha profissão organizei o casamento das minhas duas filhas, mas lembro de reclamar o direito de “ mãe da noiva “ e decidi aproveitar cada momento. Comer, dançar, sorrir…. Aproveitar o dia ! Creio que o facto de olhar para as nossas “ crias” e ver nelas um sorriso de felicidade tão grande ajuda muitíssimo. Fazer dos genros, filhos, desde o início do namoro, ajuda outro tanto.
    Depois… depois é suster a respiração e esperar… com fé que tudo dê certo!
    Que a vida delas seja o que elas sonharam… ajudar a concretizar esse objetivo e se por algum momento não for bem assim… estar lá, presente, de braços abertos para apoiar. O amor continua… numa nova forma.

  7. Isabel Rainho

    Querida Andrea, o coração apertadinho iremos ter sempre pelos nossos filhos
    Falo por experiência própria , com 3 filhas, vao ser sempre parte de nós, as tuas palavras são mesmo aquilo que sentimos .É uma nova fase da vida de filha que ganha asas e da vida de mãe que a ensinou a voar….. um grande orgulho como mãe
    Beijinho grande

  8. Helena Maria Nogueira Barrau

    Minha querida amiga, como disseste e muito bem tudo faz parte do processo, mas lembra-te que foram vocês que a preparam para agora poder voar sem medo e receios, para poder viver está nova realidade na sua vida, e deves ter muito orgulho de ti e dela. Beijinhos

    1. Andrea Ramos

      Sim, orgulho imenso por Deus nos dar a menina para cuidar e amar. Obrigada, querida Helena. Beijinhos.

  9. Danilo Gujral

    Lindo abrangente e muito profundo. Muito OBRIGADO Andréa por partilhares riqueza e transparência.

    1. Fernando Agrela

      Uma narrativa que aplica cada palavra num tom poético, para descrever com simplicidade e fidelidade esse momento tão especial e único – o casamento de um filho/a.
      DEUS abençoe 🙏

      1. Andrea Ramos

        Muito obrigada, Fernando. As palavras podem sempre elogiar e trazer alegria à vida de alguém. Coração de mãe, também poderia ser o título. Abraço enorme!

  10. Muitos Parabéns! Um misto de sentimentos mas com muita alegria. Que bom que a noiva tem uma mãe presente que será tão importante nesta nova fase de vida.

  11. Armando Jorge A. Miguez

    A vivência agridoce de ver a felicidade dos filhos e vê-los voar para seguirem a sua rota. Acima de tudo é ficar feliz e assumir a nova posição; ser porto de abrigo e de apoio quando necessário. Força e beijinho 🌟

  12. Carla Paias

    A Andrea é incrível!
    Adorei o que escreveu!
    Escreve com a alma e o coração e deixa-nos a refletir e a pensar .
    Grande mãe e grande mulher !

    Obrigada 🙏

    1. Andrea Ramos

      Muito obrigada. Toda a gente amou o vestido da sua loja. Quem sabe, um novo tema para escrever. Beijinhos.

  13. Magda Romero

    Que lindo e emocionante❤️
    Felicidades aos noivos e um beijinho especial à mãe da noiva❤️

  14. Eberson David

    Lindo texto e muito reflexivo, e faz-nos medidas que quase sempre não estamos bem preparados para a fase da vida em que estamos a viver.

    Parabéns por viver cada fase da vida com intensidade e amor e que o Senhor Deus continue a lhe abençoar grandemente!

    Parabéns pelo lindo casamento da vossa filha!

    1. Andrea Ramos

      É isso a vida, um dia de cada vez. Que possamos escolher viver com alegria, intensamente. Abraço enorme.

      1. Aida Maria Gomes da Ascenção

        Parabéns Andreia!
        É de facto um momento único para o qual as mães se preparam com muita ansidade e amor à mistura, dar-lhe “asas” é também um sinal de amor!
        Infelizmente ou felizmente, não vivi nunca esse momento, mas tu consegues passar todo esse sentimento lindo com a tua escrita maravilhosa!
        Beijinho grande.

  15. Lembro muito bem de uma menina pequenina,de cabelos loiros, hoje uma linda mulher, parabéns Andreia muitas felicidades, um beijinho muito grande

  16. Querida Andrea , fiquei emocionada ao ler o seu texto. Sua escrita delicada e cheia de amor capturou perfeitamente a beleza desse momento tão especial. Parabéns pelo belíssimo texto e por compartilhar um pouco desse momento único em sua vida. Que o relacionamento entre mãe e filha seja abençoado sempre com muito amor e compreensão .
    Bjs

    1. Andrea Ramos

      Querida, Patrícia, muito obrigada pelas suas palavras que são para mim motivação para trazer temas que nem sempre vêm à luz. Um enorme abraço. Pode ler outros texto e poemas no blog. Bem-haja!

  17. Um tema em que pouco se fala, mas frequentemente vivido…um misto de emoções expressadas de maneira tão singular e verdadeira! Obrigada Andrea por nos presentear com o teu talento e dedicação!

    1. Andrea Ramos

      Linda és e serás uma doce mãe de noiva, o tempo passa rápido. Assim já conheces alguns dos sentimentos. Abracinho.

  18. Ana Paula Machado

    Querida Andreia! É sempre um prazer poder ver a felicidade espelhada no rosto dos que nos são queridos! Acredito que serão ambos muito felizes!
    Obrigada pela partilha de sentimentos!! Um beijinho

  19. Célia M . R. Candeias

    Gostei muito ,reflete bem o que sentimos quando a casa começa a ficar mais vazia .
    A mim aconteceu com os filhos primeiro um e depois quando sai o segundo e a casa fica mais vazia , voltamos a ser dois como no inicio, mas quando chega os netos

    1. Andrea Ramos

      Obrigada, querida Célia. A mãe, um misto de emoções. Dar, dar, dar, semear, semear e um dia colherá. Beijinhos.

  20. Teresa Mourão

    Que texto tão bonito! Imagino que a minha mãe tenha partilhado muitos destes sentimentos e pensamentos quando saí de casa e casei. Um dia espero também sentir o mesmo!

    1. Andrea Ramos

      Venho lembrar que a vida é feita de ciclos e colocar em evidência o coração das mães. Honrar pelo trabalho e sentimentos. Beijinhos, Teresa.

  21. Que espelho lindo, que reflete, a saída do ninho.
    Todas já passamos, por esta fase, cada uma de forma diferente.
    Mas, a diferença está em sair do ninho para ir viver para o próprio, escolhido por ela, ou ver a sua cria levantar.
    Acima de tudo, só queremos que sejam felizes, seja qual for a forma.

  22. Anabela Mesquita

    O momento do casamento de um filho é o palco de um teatro, onde todas as emoções estão representadas, alegria e ao mesmo tempo ansiedade, pelo espaço vazio que representa, não só físico, como também emocional .
    É o deixar ir, com toda a liberdade, é o soltar, é o deixar voar, para se encontrarem com outras realidades.
    É unir para desdobrar vida, e daí advir uma nova alegria, que quase deixa para trás a dor e a alegria daquele dia que parecia ser o fim.
    É o palco de um tempo de novas descobertas, de começos, onde nós mães não ousamos pisar, nem queremos atravessar. Mas o tempo nos dirá que cumprimos da melhor forma o papel que nos foi confiado.
    Não tendo ainda passado por esse palco, vou lá atrás, e recordo, que um dia também já fui a filha que decidiu voar, para experimentar um mundo cheio de fantasias e novas aventuras, de crescimento e responsabilidades.
    Que possamos sentir uma imensa alegria, por tudo aquilo que construímos, e que nesse palco está representado o melhor de nós. As Mães!!!
    Um beijinho grande, Andrea.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Artigos Relacionados

As estações

Primavera…O sol espreita por entre as árvores cheias de flor.Os pássaros encantam chilreando, que amor!…O céu azul, os dias amenos…Por tudo isto eu te louvo, Senhor. Eu contemplo toda essa belezaTudo o que criaste com

Leia mais »
primavera

A primavera chegou???

Esta é a primavera da privação. Privação dos abraços.Mas também é a primavera das cores mais fortes.Do sentido acrescido.Dos sentimentos elevados. O desejo das flores cresceu.O sol continua a espreitar. Basta olhar! Esta é a

Leia mais »

E era Natal

Estávamos em meio a uma pandemia.Havia pessoas cheias de medo, outras desesperadas e outras nem tanto assim.E aproximava-se o Natal. Estabelecimentos fechados e as pessoas não podiam circular na via pública.Os comerciantes e os empresários

Leia mais »

Artigos Recentes

Redes Sociais

Scroll to Top